A Amazônia Jazz Band (AJB) foi formada com elementos remanescentes da extinta Big Band, grupo artístico da Fundação Carlos Gomes.

Além de seus tradicionais concertos em Belém, a Banda já se apresentou como convidada em Recife (PE), João Pessoa (PB) e Natal (RN), tendo participado ainda dos Festivais Internacionais de Música do Pará, do Festival Internacional de Londrina (PR), do Festival Eleazar de Carvalho, em Fortaleza (CE), Bienal de Música Contemporânea Brasileira, no Rio de Janeiro (RJ), Festival Internacional de la Cultura Tunia, em Boyacá (Colômbia) e do Encontro de Compositores Latino-Americanos, em Porto Alegre (RS).

A Amazônia Jazz Band teve como solistas, entre outros, os trombonistas Radegundis Feitosa e Pete Madsen (EUA); os pianistas Jorge Luiz Prats (Cuba), Luíza Camargo e Nelson Neves, os saxofonistas Fred Henk (EUA) e Paulo Levy; o clarinetista russo Oleg Andreyeyev; e os percussionistas Ney Rosauro e Bill Molenhoff (EUA).

Andréa Pinheiro, Lucinnha Bastos, Walter Bandeira e Adriane Queiroz são algumas das grandes vozes paraenses que já solaram à frente da AJB.

O repertório da Banda engloba a tradição jazzística norte-americana, obras contemporâneas, entre as quais algumas escritas especialmente para o grupo por compositores como Marlos Nobre, Almeida Prado, Ney Rosauro e Gilberto Mendes, além das contribuições de compositores paraenses como Tynnoko Costa, Luiz Pardal, João Mascarenhas e Albery Albuquerque.

Em 1996, gravou CD para a série “Pará Instrumental”, da Secult.

Ao longo de sua trajetória a Banda já foi liderada por Andi Pereira, Barry Ford, Ricardo Aquino, Esdras de Souza e Renaldo Ferreira. Em fevereiro de 2012, o Dr. Nelson Neves assumiu a regência titular da AJB.

Mantida pelo Governo do Estado, por meio da Secult em convênio com a Academia Paraense de Música, a AJB conta com apoio da Fundação Carlos Gomes.

Com quase duas décadas de existência, a Amazônia Jazz Band vem realizando inestimável trabalho de difusão da música instrumental entre o público paraense.